Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Os Tempos em que Vivemos

Um olhar, uma tentativa de compreensão sobre algumas coisas que são vida.

Os Tempos em que Vivemos

Um olhar, uma tentativa de compreensão sobre algumas coisas que são vida.

(374) “Se sente que está a ser manipulado, é porque está mesmo!”

Tempo estimado de leitura: 3 minutos.

 

Se não se lembra de alguma vez ter visto uma tão intensa campanha de meios de comunicação à volta de uma guerra, é porque não viu mesmo.

 

Se se está a sentir um pouco como Keanu Reeves no início do Matrix logo antes do véu ser arrancado, recomendo seguir o coelho branco e ver o quão profunda é a toca do coelho.

 

Se lhe está começar a parecer que estamos todos a ser manipulados em grande escala para pensar, agir e votar de uma maneira que beneficie uma vasta estrutura de poder que nos governa enquanto ela esconde a sua verdadeira natureza, eu diria que vale a pena seguir a pista.

 

 

 

 

 

Raras são as vezes que se consegue escrever algo que exprima num só trabalho aquilo que somos, quanto mais incluir nesse escrito tudo aquilo que de mais importante produzimos. Caitlin Johnstone, jornalista australiana, estando no presente com o conhecimento do passado e olhos postos no futuro, fê-lo num dos seus últimos artigos, o de 11 de abril de 2022, que intitulou “If It Feels Like You’re Being Manipulated, It’s Because You Are” (Se você sente que está a ser manipulado, é porque está mesmo).

Reproduzo-o aqui, com as ligações por ela sugeridas (para o que basta clicar sobre as mesmas).

 

 

Se tem o pressentimento de que os que nos governam estão a trabalhar para controlar a sua perceção sobre a guerra na Ucrânia, é mais seguro confiar nesse sentimento.

 

Se sente que existe um esforço conjunto das instituições governamentais e dos meios de comunicação mais poderosos do mundo ocidental para manipular a sua compreensão sobre o que está a acontecer com esta guerra, é porque é exatamente isso que está a acontecer.

 

Se não se lembra de alguma vez ter visto uma tão intensa campanha de meios de comunicação à volta de uma guerra, é porque não viu mesmo.

 

Se tiver a nítida impressão de que esta pode ser a guerra mais agressivamente dirigida à perceção e com o uso mais intensivo de operações psicológicas na história da humanidade, é porque é.

 

Se parece que as plataformas de Silicon Valley estão a controlar o conteúdo que as pessoas veem para lhes dar uma perspetiva sobre essa guerra que é extremamente tendenciosa a favor da narrativa dos EUA, é porque esse é realmente o caso.

 

Se parece uma coincidência suspeita que o Russiagate tenha fabricado o consentimento maioritário para todas as agendas obscuras que estamos a ver crescer agora, como a guerra fria contra Moscovo, a censura na internet,  e o de ser constantemente enganado pelos meios de comunicação de massa para um bem maior, é porque é mesmo uma coincidência muito suspeita.

 

Se lhe parece um pouco hipócrita que o império nos esteja a atacar todo o dia com narrativas sobre crimes de guerra russos enquanto esse mesmo império está a prender um jornalista por expor os seus crimes de guerra, é porque é mesmo totalmente hipócrita.

 

Se lhe parece algo de errado o facto de estarmos prestes a ver um juiz aprovar a extradição de Julian Assange para os Estados Unidos por praticar jornalismo enquanto esses mesmos Estados Unidos continuam a divulgar narrativas sobre a necessidade de proteger a liberdade e a democracia da Ucrânia, é porque deverá estar mesmo errado.

 

Se está a começar a ter a sensação incómoda de que a visão consensual do mundo dominante é uma construção fabricada pelos poderosos, para os poderosos, e tudo o que você aprendeu sobre a sua nação, o seu governo e o seu mundo é uma mentira, essa é mesmo definitivamente uma possibilidade que vale a pena considerar.

 

Se lhe está começar a parecer que estamos todos a ser manipulados em grande escala para pensar, agir e votar de uma maneira que beneficie uma vasta estrutura de poder que nos governa enquanto ela esconde a sua verdadeira natureza, eu diria que vale a pena seguir a pista.

 

Se tem uma insidiosa suspeita de que as mentiras possam ser ainda mais profundas do que isso, até mesmo relativamente às deceções sobre quem fundamentalmente você é e sobre o que essa vida é realmente, essa suspeita provavelmente vale a pena explorar.

 

Se se está a sentir um pouco como Keanu Reeves no início do Matrix logo antes do véu ser arrancado, recomendo seguir o coelho branco e ver o quão profunda é a toca do coelho.

 

Se já lhe ocorreu que a humanidade precisa acordar da matriz da ilusão antes que os nossos governantes sociopatas nos levem à extinção por meio da catástrofe ambiental ou de um apocalipse nuclear, então as suas notas coincidem com as minhas.

 

Se acredita que é possível que essas crises existenciais a que nos estamos a aproximar rapidamente possam ser o catalisador que precisamos para arrancar coletivamente a venda dos nossos olhos e começar a mover-nos sobre esta terra de uma maneira baseada na verdade e criar um mundo saudável, então estamos na mesma página.

 

Se há algo que lhe sussurra que existe uma boa oportunidade de conseguirmos, apesar das grandes probabilidades contra que parecemos enfrentar, vou contar-lhe um segredo: eu também ouço.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub